Trucidamentos de deficientes e assassinatos de judeus e outros “indesejáveis”, todos considerados, de uma maneira ou de outra, “impróprios”.

BOLSONAROHITLER1B 683x1024 AS PRIMEIRAS VÍTIMAS DE BOLSONARO E SEUS ELEITORES SERÃO OS IDOSOS

“Os não-aprimorados: o que acontecerá com os que são considerados ‘impróprios'” no governo Jair Bolsonaro. O Brasil está implantando o Aktion T4, o programa nazista de eutanásia para exterminar os deficientes, idosos, homossexuais, negros, índios e outras minorias.

Tenho medo do que você vai acontecer no Brasil, diz uma fonte do Departamento de Estado dos Estados Unidos. Entidades americanas acreditam que O coronavírus eliminará cerca de 2 milhões de brasileiros.

Não é para ninguém ficar alarmado. Isso já era esperado. Mas desta vez é diferente. O vírus é uma versão brasileira do Aktion T4 não poderá acontecer sem a participação voluntária da sociedade.

As pessoas com deficiência foram esterilizadas e mortas pelos nazistas. Não é muito difícil entender as conexões entre o assassinato de deficientes e os assassinatos de judeus e outros “indesejáveis”, todos considerados, de uma maneira ou de outra, “impróprios”.

Aproximadamente 300 mil pessoas com deficiência foram mortas em T4 e suas consequências. conexão direta entre T4 e o Foi Brandemburgo, o primeiro laboratório de T4, onde foram testados métodos de assassinato em massa, que as primeiras vítimas de assassinatos em massa nazistas foram deficientes e que seu pessoal continuou a estabelecer e administrar os campos de extermínio em Treblinka, Belzec e Sobibor.

Poucas pessoas sabem sobre a história da deficiência nos Estados Unidos. A maioria não sabe que, nos Estados Unidos, em 1927, o juiz Oliver Wendell Holmes escreveu que “três gerações de imbecis são suficientes” como parte de sua opinião do processo Buck v. Bell, em que a Suprema Corte decidiu que a esterilização compulsória dos “inaptos” era constitucional. Esta decisão nunca foi expressamente anulada.

Muitos americanos ainda não sabem sobre as chamadas “leis feias”, que em muitos estados, a partir do final da década de 1860, consideravam ilegal que pessoas “feias ou indecorosas” aparecessem em público. A última dessas leis não foi revogada até 1974.

Por que é importante conhecer essa história? Costumamos dizer que o que aconteceu na Alemanha nazista acontecerá no Brasil.

Bolsonaro e assessores acreditam que as minorias são um “fardo financeiro e moral” para “a família, o Sus e a União”.

O presidente americano vem cortando programas sociais. Trump quer eliminar o financiamento do Medicaid que ajuda idosos, pobres e deficientes a viver vidas mais saudáveis e dignas. O Brasil segue a mesma linha de Trump. Os eleitores de Bolsonaro acreditam que chegou a hora de privatizar o SUS: ” são milhões de reais por dia que podem ir para a educação de seus filhos e netos ou investir na infraestrutura do país.”

Que tipo de sociedade os brasileiros querem ser? Os idosos, negros, homossexuais, índios e deficientes estão na vanguarda de uma discussão mais ampla sobre o que constitui uma vida respeitada. O que vale uma existência na terra? Com muita frequência, a vida daqueles que convivem com deficiência e minorias não é valorizada e temida. Na raiz desse medo estão mal-entendidos, deturpações e falta de conhecimento da história e, portanto, e ausência de ética e empatia